A 88i – que recebeu autorização para atuar no sandbox regulatório da Susep em abril – aposta em um modelo de seguradora 100% digital, com soluções para ecossistemas digitais, como fintechs, e-commerce, delivery e mobilidade. Em menos de três meses de operação, a startup já fechou parcerias com empresas como Hub Fintech, Pic Pay, Bitz (carteira digital do Bradesco), Vá de Táxi, U4 Crypto e Bitfy.

Os acordos não devem parar por aí. A 88i tem uma lista de, pelo menos, dez novas parcerias em negociação – a maior parte (70%) envolvendo fintechs, e o restante distribuído entre players de e-commerce, mobilidade e delivery. “Nosso maior desafio agora é tração. Temos três campanhas de marketing digital que vão sair nas próximas semanas”, conta ao Finsiders Fernando Moreira, CEO da 88i.

Experiente executivo no mercado segurador, Moreira foi CEO da HSBC Seguros no Brasil, antes de atuar no HSBC na China e em Hong Kong. No mercado asiático, foi também Ceo da seguradora americana Cigna e CEO da Ping An Direct, negócio que ajudou a transformar em líder de mercado em serviços financeiros na China. De volta ao Brasil, o executivo ocupou, ainda, as cadeiras de COO de mercados emergentes da QBE e foi responsável pela área de varejo fora do Canadá da ScotiaBank.

Em vez de se aposentar, Moreira decidiu assumir um novo desafio: levar a 88i de uma startup para líder de mercado em solução de seguro digital para ecossistemas digitais, num prazo de cinco anos. O negócio ele já conhece, afinal é investidor desde o fim de 2018 e, neste ano, foi convidado pelo fundador da 88i, Rodrigo Ventura (também ex-HSBC), a assumir a posição de CEO.

“Queremos entregar proteção para todas as pessoas. Proteger aquilo que amam e se importam”, diz o executivo.

Mas até lá, o caminho é longo. Este ano, a seguradora digital espera comercializar 50 mil apólices e chegar a R$7 milhões em prêmios e, em 2022, mira multiplicar por dez o resultado projetado. A startup mira 2 milhões de apólices em 2023; 6 milhões, em 2024, e 9 milhões em 2025. “Significa 5% de participação do mercado, com venda cruzada de um produto e meio por cliente”, explica Moreira. O potencial de crescimento é grande – a startup mapeou 2 mil ecossistemas digitais, entre aplicativos de fintechs, plataformas de e-commerce e empresas ligadas a mobilidade e delivery.

A seguradora começa operando três soluções: vida digital (com proteções para celular, tablet, laptop e outros eletrônicos); vida, saúde & bem-estar (acidentes pessoais e telemedicina); e proteção financeira ( impedimento ao trabalho e entregas protegidas , para entregadores e motoristas de aplicativo, por exemplo. Todo o processo, da compra ao pagamento do sinistro, é digital. A startup está fechando parceria com uma empresa de dados, cujo nome ainda não pode ser revelado

“Ano que vem, vamos lançar vida e prestamista. E para lançar estes produtos precisaremos fazer uma nova rodada, uma Série A, em que vamos buscar US$20 milhões, que nos permitirá sair do sandbox e ir para o (segmento) S4. Entre 2022 e 23, é nosso ciclo de alavancamento”.

Em março, a 88i recebeu um primeiro cheque de R$5 milhões da Domo Invest. E agora, em junho, a Fundação Dash de Investimento – focada em meios de pagamento e rede blockchain – fez um aporte de US$250 mil (cerca de R$1,4 milhão) no negócio. Os recursos investidos pela Dash serão utilizados pela 88i em infraestrutura e marketing digital, para acelerar o ciclo de crescimento e comercialização de seguros para ecossistemas digitais de empresas.

A base dos negócios da 88i se sustenta em tecnologias de inteligência artificial (IA), que permitem que as soluções de proteção desenhadas para o consumidor sejam integradas, em até quatro semana, às plataformas das parcerias. “É plug and play com qualquer parceiro de mercado, em uma velocidade muito grande, usando linguagem de APIs, baseada em microserviços”, explica Moreira, citando que a empresa também roda sua plataforma na nuvem AWS (Amazon Web Services).

A partir de 2022, a 88i vai construir sua plataforma em blockchain. “Seguro é produto de confiança entre pessoa e empresa. O smart contract permite amarrar os entes, criando estrutura transparente, com rastreabilidade do contrato. Fica muito mais difícil de fraudar”, aponta. Nesse projeto, a parceria estratégica com a Dash tende a ajudar bastante. “Por meio de sua rede extremamente rápida, a Dash possibilita o cadastramento de micro e nano seguros em tempo real” complementa Gustavo Figueiredo, CTO da 88i.

A 88i integra a lista de 11 empresas selecionadas pela Superintendência de Seguros Privados (Susep) para participar da primeira edição do sandbox. Até agora, além da 88i, foram autorizadas a operar as empresas Coover, Emotion, Flix, IZA , Pier, Simple2U ( criada pela MAG Seguros, antiga Mongeral Aegon), Stone e Thinkseg. A Komus desistiu do processo. A Split Risk ainda aguarda aval do regulador. De acordo com as regras definidas pela Susep, as companhias poderão atuar por até três anos dentro desse ambiente experimental.

O órgão abriu, no fim de maio, consulta pública para a segunda edição do sandbox. Dessa vez, poderão ser selecionados até 15 projetos. Na última semana, durante o Fintech View, o diretor da Susep, Eduardo Fraga, disse que a nova fase do sandbox será simplificada e ampliada. “Estamos terminando o processo de consulta pública das revisões que estamos fazendo para, no segundo semestre, coloca na rua um novo edital”, afirmou.

Link para a matéria original: https://finsiders.com.br/2021/06/21/88i-seguradora-digital-negocia-novos-acordos-a-maioria-com-fintechs/

Leia também este tema em outras mídias: 

Seguradora digital 88i avança em parcerias

Seguradora digital 88i avança em parcerias

Open chat